fbpx

Dia: 4 de abril de 2021

[Espanha] Libertários: os heróis esquecidos que lutaram contra o franquismo A.N.A.
Notícias Ativistas

[Espanha] Libertários: os heróis esquecidos que lutaram contra o franquismo A.N.A.

• Na sede da Associação para a Recuperação da Memória Histórica, pode-se lembrar desses heróis esquecidos que lutaram pelos direitos trabalhistas individuais e coletivos desde o movimento libertário, até 15 de abril. Por Madalina Panti | 24/03/2021 À beira de completar 100 anos, Martín Arnal Mur tornou-se uma das poucas testemunhas vivas da Guerra Civil e Revolução Espanhola. Ele não é um nome desconhecido para os aragoneses nem para o anarco-sindicalismo. Desde os coletivos agrários de 1936 em sua cidade natal, Angüés (Huesca), até a luta pelos direitos trabalhistas, passando pelos campos de concentração franceses, sua vida representa uma compilação de memória histórica que continua a se espalhar. Ramón Acín ou Joaquín Ascaso são figuras bem conhecidas pelo valor que ...
[EUA] David Graeber: Após a Pandemia, não podemos dormir novamente A.N.A.
Notícias Ativistas

[EUA] David Graeber: Após a Pandemia, não podemos dormir novamente A.N.A.

Por David Graeber Em um ensaio escrito um pouco antes de sua morte, David Graeber argumentou que após a pandemia, não podemos voltar para uma realidade onde a forma como nossa sociedade é organizada – servir a todos os caprichos de um punhado de pessoas ricas enquanto humilham e degradam a grande maioria de nós – é vista como sensata ou razoável. Antes de sua morte trágica e prematura aos cinquenta e um anos em setembro de 2020, o anarquista, antropólogo e articulador David Graeber escreveu esse ensaio sobre como a vida e a política poderiam ser após a pandemia de COVID-19. Jacobin está orgulhoso em publicar o ensaio de Graeber pela primeira vez. Em algum momento nos próximos meses, a crise será declarada terminada, e nós seremos capazes de retornar aos nossos trabalhos “não-essencia...
Violet Gibson, a mulher que tentou assassinar Mussolini, e que a História quase esqueceu A.N.A.
Notícias Ativistas

Violet Gibson, a mulher que tentou assassinar Mussolini, e que a História quase esqueceu A.N.A.

Quase mudou o curso da história, mas a História deixou-a quase esquecida. Violet Gibson, a “louca”, que quase assassinou o ditador Mussolini, terá uma placa em seu nome erguida na Irlanda Uma das quatro tentativas de assassinato de Benito Mussolini, líder do Partido Nacional Fascista e primeiro ministro de Itália desde 1922, e considerado uma das figuras-chave do fascismo na Europa no século passado, e a que mais perto ficou do seu objetivo, foi perpetrada por Violet Gibson, em 1926. No entanto, apesar de amplamente noticiada na altura, foi a única que não mereceu grande atenção da História. Baseado no livro “The Woman Who Shot Mussolini”, 2010, de Francis Stoner-Saunders, o documentário em áudio, em 2014, de Siobhán Lynam, deu-lhe outra projeção, e, em 2020, a tentativa de assassínio deu...
[Espanha] A Comuna de Paris e as Mulheres (150º Aniversário da Comuna) A.N.A.
Notícias Ativistas

[Espanha] A Comuna de Paris e as Mulheres (150º Aniversário da Comuna) A.N.A.

A adesão feminina à Comuna de Paris (18 de março a 27 de maio de 1871) se explica pelo fato de que a maioria delas nada tinha que perder e sim algo a ganhar. Sua condição fica magistralmente descrita por Víctor Hugo: O homem pôs todos os deveres do lado da mulher e todos os direitos do seu, carregando de maneira desigual os dois pratos da balança… Esta menor, segundo a lei, esta escrava, segundo a realidade, é a mulher. Desde 1860 o feminismo organizado havia se estendido e nasceram os Comitês de Mulheres e entre as mulheres que se integraram neles destacamos Louise Michel, a virgem negra. Quase todas procediam da burguesia, mas haviam abandonado sua classe para permanecer livres e militar pela liberação da mulher. Muitas trabalhavam de governantas, encadernadoras, etc. Dedicava...
[Argentina] Mulheres anarquistas: o espírito da cineasta Daiana Rosenfeld A.N.A.
Notícias Ativistas

[Argentina] Mulheres anarquistas: o espírito da cineasta Daiana Rosenfeld A.N.A.

Continua pela tela da TV Ciudad o programa compartilhado com Cinemateca: ciclos sobre mulheres no cinema. Este domingo é a vez de Salvadora, o terceiro documentário dirigido pela argentina Daiana Rosenfeld sobre a vida de Salvadora Medina Onrubia, que no início do século XX, com apenas 15 anos, decidiu ser dramaturga, poeta, anarquista e mãe solteira. A partir desta estreia dialogamos com sua diretora, uma realizadora cuja filmografia é atravessada pela figura da mulher, não somente porque as protagonistas são mulheres, mas porque cada uma delas revela questionamentos sobre a construção que significa ser mulher. Rosenfeld, também, está para estrear seu quinto longa-metragem, Juana, e escrevendo o sexto sobre Delmira Agustini. “Por alguma razão as protagonistas são mulheres, no i...
[EUA] “Ela disse que não devemos nos submeter ao racismo e devemos lutar até a morte, se necessário” A.N.A.
Notícias Ativistas

[EUA] “Ela disse que não devemos nos submeter ao racismo e devemos lutar até a morte, se necessário” A.N.A.

Uma chinesa de 76 anos foi agredida por um homem branco de 39 anos que desconhecia na última quarta-feira, dia 17, enquanto esperava para atravessar uma rua em São Francisco, nos Estados Unidos, num caso que se somou aos episódios de crimes de ódio contra asiáticos e seus descendentes no país, que têm aumentado. “Ela disse que não devemos nos submeter ao racismo e devemos lutar até a morte, se necessário”, destacou o neto da idosa, John Chen. “Estou surpreso com sua bravura. Foi ela quem se defendeu deste ataque não provocado”. Embora tenha ficado ferida, Xiao Zhen Xie reagiu ao soco que levou de Steven Jenkins na Market Street. A idosa pegou uma vara e foi vista batendo no agressor e gritando: “Seu vagabundo!”, informou a emissora “KPIX 5”. O homem acabou sendo levado para o hospital alg...