[Espanha] Uma mensagem dirigida para nossas irmãs e companheiros marroquinos A.N.A.

A primeira revolução deve ser contra a suprema tirania da teologia. Enquanto tivermos senhores no céu, permaneceremos escravos na terra“. Mikhail Bakunin.

Carta dirigida para nossas irmãs e companheiros marroquinos após a morte de vinte e oito trabalhadores eletrocutados em uma oficina ilegal em Tânger.

A impunidade com que os empregadores de ambos os lados do Mediterrâneo agem contra os interesses da classe trabalhadora sempre foi conhecida. Isto muitas vezes acontece ao custo de nossas próprias vidas. Muitas vozes se levantaram há anos em solidariedade com os trabalhadores têxteis e mineiros marroquinos, assim como com os trabalhadores diurnos em Cartagena ou lugares vizinhos como Almería.

Há apenas dois meses, os mineiros de Toussit, no Marrocos, entraram em ação direta, convocaram uma greve geral e ocuparam sua mina, exigindo respeito e dignidade. Hoje, acordamos com a notícia da morte de mais de 28 trabalhadores em Tânger, na oficina ilegal onde trabalhavam, eletrocutados após uma enchente. Já sabemos que não haverá justiça para eles, porque a justiça só olha para os poderosos, políticos ou empresários. Vemos isso na África, na Europa ou em qualquer lugar do mundo onde os direitos, a dignidade e a liberdade da classe trabalhadora são espezinhados diariamente.

A partir deste sindicato internacional, CNT-AIT, apelamos à unidade entre os povos e os trabalhadores, e apoiaremos todas as campanhas que visem a libertação dos trabalhadores marroquinos ou de qualquer canto do mundo.

Exigimos para nossas companheiras e companheiros na região marroquina:

– Salários decentes que lhes permitam ganhar a vida, para todos, qualquer que seja sua situação.

– Condições de trabalho decentes, de acordo com a segurança dos trabalhadores e do meio ambiente.

– Respeito à liberdade de associação nos sindicatos, liberdade de expressão, assim como o direito à greve.

Companheiras e companheiros solidários dos dois lados do Mediterrâneo: Devemos lutar juntos como uma sociedade global pela liberdade humana ou devemos permanecer passivos? Você decide.

A Assembleia da CNT-AIT Cartagena

A Assembleia da CNT-AIT Paris

Fonte: https://www.alasbarricadas.org/noticias/node/45449

Tradução > Liberto

agência de notícias anarquistas-ana

nenhuma flor resta
os troncos abatidos
nenhuma floresta

Núbia Parente

image_pdfPDF Exportarimage_printImprimir

Deixe um comentário...

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: